A tecnologia RFID oferecer aos retalhistas uma solução aos desafios gerados pelo aumento de compradores nas lojas durante a Black Friday

 

A Black Friday é um fenómeno mundial de compras no qual os consumidores portugueses gastam uma média de 216 euros [1], tanto em lojas físicas como online.

A Black Friday é um fenómeno de compras mundial, que este ano tem lugar a 25 de Novembro. Este dia de grandes vendas é agora um evento anual, no qual os compradores esperam poder conseguir encontrar negócios de alto valor a preços baixos, particularmente na área de bens eletrónicos e digitais. Isto implica um planeamento preciso da parte dos retalhistas que operam estratégias de vendas omnichannel para assegurar uma disponibilidade de artigos constante quer online, quer em loja, em todos os SKUs em lista – para além de segurança em prateleira para proteger os produtos contra furto. Em situações tradicionais, prevê-se que, pelas marcas líderes, o sucesso do omnichannel requer uma precisão de inventário superior a 90%, mas a Black Friday, é um dia ainda mais crítico.

Para responder a esta procura do mercado, a empresa de referência em soluções RFID, Checkpoint Systems, desenvolveu soluções tecnológicas baseadas em RFID com as quais oferecem aos retalhistas uma valiosa ferramenta para fazer frente às exigências que da Black Friday. “Ao identificar e rastrear automáticamente as etiquetas RFID colocadas na mercadoria, oferece-se aos retalhistas a visibilidade das existências em tempo real e permite monitorizar a sua rastreabilidade (ao nível de item ou SKU) ao longo da cadeia de distribuição: em armazéns, centros de distribuição e em loja.”, explica David Pérez del Pino, Business Unit Managing Director Checkpoint Systems Portugal & EMEA Channel.

Utilizar RFID faz sentido para os retalhistas ao longo de todo o ano, mas pode tornar-se vital no fim-de-semana da Black Friday, quando o volume de clientes à procura de bons negócios online e em loja atingem um pico. Assegurar uma disponibilidade de produto ótima será crucial para converter em vendas e prevenir qualquer experiência negativa por parte do cliente que possam levar os compradores para sites ou lojas da concorrência.

Mesmo fora da azafama da Black Friday, estudos[2]  sugerem que 85% dos jovens clientes preferem mudar de marcas do que aguardar pela disponibilidade de stock do seu produto favorito. As rutura de stock foram referidas por mais de 30% dos compradores num inquérito internacional[3], quando questionados sobre quais as principais barreiras para o uso dos serviços click-and-collect.

 

Uma Black Friday omnichannel

Para as lojas do dia a dia não há nada pior do que problemas de disponibilidade no dia mais agitado do ano causados por stock parado nos armazéns, itens mal arrumados ou produtos a serem entregues nas lojas erradas. Os clientes quando confrontados com prateleiras vazias na Black Friday irão, simplesmente, a outro retalhista.

“A RFID também ajuda a prevenir problemas no omnichannel ao fornecer alertas em tempo real de reabastecimento, atualizações regulares e exatas de stock, e dados ao nível do item, ao mesmo tempo que identificam as prateleiras que estão vazias e que podem, de facto, ser respostas com o stock em armazém.”, afirma o diretor da Checkpoint Systems. Também contribui para a conveniência do comprador, ao permitir ao retalhista oferecer serviços como sejam a Compra Online, Levantamento em Loja, levantamento à janela e entrega em casa no próprio dia.

Os sistemas RFID como o portal de software RFID da Checkpoint Systems – uma plataforma da Internet of Things (IoT) que permite aos retalhistas rastrear todos os SKUs em qualquer ponto da cadeia de distribuição – funciona recolhendo informação de dezenas de sensores RFID em toda a cadeia de distribuição com uma fiabilidade de 99%. Estes dados são recolhidos, processados e analisados em, praticamente, tempo real para oferecer conhecimentos direcionados e acionáveis, através do portal.

Ao utilizar dispositivos portáteis RFID, o pessoal da loja pode digitalizar prateleiras, cabides e expositores para adquirir informação em tempo real e precisas sob o inventário da loja em apenas 30 a 45 minutos. Isto ajuda os retalhistas e as marcar a incrementar as vendas numa média de 1,5-5,5%, ao mesmo tempo os retalhistas verificam um aumento de vendas de cerca de 10%, ao simplesmente assegurarem uma maior disponibilidade.

 

Decisões inteligentes através da tecnologia RFID

Com as vendas a crescerem na contagem decrescente para a Black Friday e no próprio dia, os retalhistas podem utilizar a RFID para perceberem exatamente que mercadoria está no seu negócio. Tal permite tornar as operações mais ágeis não apenas nas tendências de vendas, mas também mudar a procura dos clientes ao redistribuir o stock nas diferentes lojas do seu portfolio, baseando-se em dados de vendas.

Ao mesmo tempo as etiquetas RFID também oferecem segurança EAS, permitindo que os produtos individualmente sejam rastreados em toda a loja – e mais importante, se o cliente tentar sair sem pagar.

As etiquetas RFID podem ser lidas até 6 metros, através de antenas RFID overhead, underfloor e de pé. Estas são capazes de compreender se o produto se encontra perto de uma porta, se estão a movimentar-se ao longo da saída ou atravessaram a porta, o que significa que o alarme apenas irá soar em caso de um potencial furto.

Com tanto em jogo na Black Friday – e os dias que antecedem e seguem o dia – é vital para os retalhistas compreenderem como obter melhor controlo sob os seus stocks como parte de uma estratégia ágil que funciona de forma transversal nos negócios.

[1] https://black-friday.global/pt-pt/
[2] https://www.oracle.com/uk/news/announcement/consumers-feel-that-supply-chain-threatened-2021-11-09/
[3] Euromonitor International: Top 10 Global Consumer Trends 2021